18.11.2016 às 10:53

Atropelamento em Cruzeiro/SP evidencia perigo da utilização do celular e fones de ouvido na linha férrea

Em 2016, somente na ferrovia sob concessão da MRS Logística, foram registradas outras três ocorrências desse tipo

No dia 10 deste mês, um adolescente ficou ferido ao tentar atravessar a linha férrea de bicicleta no bairro Vila Batista, em Cruzeiro/SP. De acordo com o irmão do jovem, que teve apenas ferimentos leves, ele estaria utilizando fones de ouvido e, por isso, não teria percebido a aproximação do trem. Ainda neste ano, uma outra jovem não teve a mesma sorte em Aparecida/SP. Ela tentou atravessar a ferrovia falando ao celular e, infelizmente, envolveu-se em um acidente fatal.

Do dia primeiro de janeiro de 2016 até o dia 17 deste mês, haviam sido registrados cinco acidentes envolvendo trens da MRS na região do Vale do Paraíba paulista. No mesmo período do ano passado foram registradas oito ocorrências, o que representa uma redução de 37% no número de acidentes.

img_0507“Apesar do avanço que temos registrado na região do Vale do Paraíba, é preciso que as pessoas entendam a importância de não utilizar os dispositivos móveis de comunicação no trânsito e também nas travessias da linha férrea. Pode até parecer que não, mas esses equipamentos tiram a atenção da ferrovia. Além deste caso em Cruzeiro, em 2016, tivemos outros três acidentes na nossa malha que foram ocasionados pela distração com dispositivos móveis de comunicação”, ressalta Mário Vilhena, especialista em Relações Institucionais da MRS para a região.

Já é de conhecimento geral que uma das principais indicações da aproximação do trem é a buzina.

“Por este motivo, é importante estar atento ao sinal sonoro: não use o fone de ouvido e não manuseie o smartphone na travessia da linha férrea! Siga o que indicam as placas de sinalização: pare, olhe para os dois lados e escute com atenção”, alerta Uascar Carvalho, gerente geral de Faixa de Domínio e Interferências.

logo_linha-da-vida_1-jpgEm breve, a MRS vai lançar uma iniciativa que está sendo chamada de Linha da Vida. O projeto visa congregar empresas, organizações civis e entidades públicas para a conscientização e educação no trânsito, especialmente no que se refere à segurança ferroviária. Teremos um site que reunirá as principais informações sobre causas e sobre como evitar acidentes e disponibilizará material para download e multiplicação nas comunidades em que os trens estão presentes. Lá teremos, por exemplo, um link para recomendações de segurança relacionadas ao uso de dispositivos móveis.

Além disso, esta será uma rede de relacionamentos, sem vinculações políticas ou fins lucrativos, com a missão de despertar o maior número de pessoas para a cultura de segurança e de paz no trânsito.

 

 

Por MRS