12.07.2019 às 10:21

Equipe da Vale visita CCO para conhecer aplicação de técnica Shisa Kanko

Durante visita, equipe de SMS compartilhou outras práticas usadas na MRS

“指差喚呼” ou “shisa kanko”, que em português significa “apontar e falar”. Esse é o nome de uma técnica que surgiu no começo do século XX, nas linhas férreas japonesas, para checar se tudo estava em ordem. A técnica consiste em apontar o que tem que ser feito para que o foco seja direcionado para a tarefa e verbalizar a ação para ajudar na memorização e na concentração. Na MRS, os controladores de tráfego do CCO repetem as ordens dadas aos maquinistas e apontam com o mouse na tela do computador o caminho a ser feito pela composição.

Em abril, após assistir à matéria divulgada no Jornal Nacional sobre a aplicação dessa técnica na MRS, colaboradoras da Vale ficaram interessadas em conhecer de perto a utilização desse método. A visita de benchmarking aconteceu na última quinta-feira, dia 11, em Juiz de Fora (MG).

“A técnica ‘apontar e falar’ é fundamental para melhorar o nível de atenção e de concentração que um controlador de tráfego ferroviário precisa durante a jornada de trabalho. Além de mostrarmos na prática a utilização desse método no Centro de Controle Operacional, aproveitamos o momento para apresentar como a Programação Neurolinguística (PNL) está sendo abordada na rotina de comunicação entre o controlador e o maquinista”, conta o gerente de Operação de Tráfego de Trens, Jefferson Meirelles

A técnica “apontar e falar” está sendo utilizada pelos controladores de tráfego do CCO de Juiz de Fora (MG) desde abril de 2017. Segundo o especialista em Controle de Tráfego de Trens Francisco Lima, já no primeiro ano de implantação, houve uma redução de aproximadamente 70% do número de incidentes.

“Depois de adequar a técnica para ser implementada no CCO, a equipe passou por treinamento para aprendizagem e conscientização acerca dos ganhos. Com o uso constante desse método e os ganhos notórios para a segurança operacional, os próprios colaboradores ficaram convencidos da importância da utilização dessa técnica.”

Após a visita, a analista de Segurança Sênior da Vale, Daniela Pimenta, uma das visitantes, planeja implementar o método para complementar as ferramentas de segurança da mineradora.

“Nós já desenvolvemos um trabalho com ferramentas comportamentais. A ideia é aplicar a técnica para complementar nosso booking de ações, visando desenvolver pessoas. Durante a visita, nos apresentaram tudo o que está sendo feito para melhorar a segurança na MRS. A técnica ‘apontar e falar’ e o uso de PNL são um exemplo disso. Foi muito bacana conhecer de perto esse trabalho e ver como as coisas estão funcionando de fato”, avalia Daniela.

Num segundo momento, as duas representantes da Vale conversaram com a equipe de SMS e conheceram um pouco mais sobre as áreas de atuação da gerência.

“Apresentamos a estrutura de SMS da MRS e como funciona o nosso trabalho em relação ao meio ambiente e às seguranças do trabalho e ferroviária. O foco principal da conversa foi o processo de investigação de ocorrências pessoais e ferroviárias. Além disso, explicamos como a equipe trabalha para garantir a aplicação da metologia de análise de causas para mitigar novas ocorrências”, explica a analista de Segurança Operacional Letícia Arrighi.

Por MRS