22.07.2022 às 17:48

Orientações para circulação na passarela histórica de Paranapiacaba

Moradores e turistas que utilizam o espaço devem estar atentos às regras simples para a circulação no local. Equipamento demanda serviços de restauro

A passarela histórica da Vila de Paranapiacaba, em Santo André, um dos principais meios para a movimentação de pedestres entre as partes alta e baixa da vila, demanda serviços de restauro. Até o início das obras, a circulação de pessoas pelo local deve obedecer a uma série de regras, para que o espaço possa continuar sendo utilizado de forma segura.

Os cuidados são propostos pela Prefeitura de Santo André e pela MRS Logística, empresa responsável pela gestão da passarela. As medidas ganham importância maior com a proximidade do Festival de Inverno de Paranapiacaba, que ocorrerá nos dias 23 e 24 de julho, momento no qual há uma grande movimentação de turistas na região. As regras são:

. Ao se locomover entre a parte alta e a parte baixa da vila, as pessoas devem seguir pelo caminho indicado. Os trajetos no sentido parte baixa-parte alta, e vice-versa, estão sinalizados e devem ser respeitados;

. Não parar para fazer fotos ou vídeos. A parada interrompe o fluxo dos passantes e pode gerar aglomeração, evitando riscos ou situações que possam gerar insegurança. Foi instalado um mirante próximo à Estação do Expresso Turístico, para que todos possam tirar fotos com a Torre do Relógio ao fundo;

. Ao caminhar sobre a passarela, os pedestres devem seguir em fila indiana e respeitar a distância de 1 metro entre as pessoas à frente.

Processo de restauro
A passarela da Vila de Paranapiacaba é uma construção centenária, datada do século XIX. A estrutura há muitos anos está exposta a diversos fatores ambientais de desgaste como, por exemplo, alta umidade da serra, além de salinidade e poluição preveniente da região industrial da baixada santista. Em 2021, uma avaliação técnica conduzida por empresa especializada e coordenada pelo engenheiro Fernando Stucchi, professor titular da Universidade de São Paulo (USP) e especialista renomado em estruturas, apontou a necessidade de intervenções.

Os estudos e projetos para restauro da passarela estão em andamento e seguem todos os protocolos previstos, ou seja, a aprovação e articulação com os órgãos de preservação do patrimônio histórico, seja em nível municipal, estadual e federal. A estimativa é que algumas intervenções se iniciem ainda no segundo semestre de 2022.

De forma preventiva, as autoridades públicas e os responsáveis pela conservação da passarela desenvolveram um plano que permite que o espaço continue sendo utilizado de forma segura, obedecendo as regras previamente citadas. Há também o estímulo ao uso de outros caminhos que permitam a circulação entre a parte alta e parte baixa da Vila.

Preservação do patrimônio
No planejamento das obras previstas para as soluções que envolvem a passarela, a MRS Logística continuará dando atenção máxima à preservação do patrimônio histórico local. A empresa foi protagonistas em projetos como a recente reforma da torre e do relógio, cartão postal da comunidade, e a restauração da estação de Campo Grande.

Por MRS