05.02.2018 às 09:00

Transporte intermodal pela Hidrovia Tietê-Paraná volta a bater recorde

Volume transportado pela MRS, a partir de Pederneiras/SP, cresceu 61% 

Trem sendo abastecido de milho, em Pederneiras (SP)

Após dois anos de paralisação, o transporte de cargas pela Hidrovia Tietê-Paraná foi retomado e voltou a patamares expressivos. Segundo dados do Departamento Hidroviário do estado de São Paulo, o volume de cargas transportadas na hidrovia alcançou 8,91 milhões de toneladas, cerca de 200 mil toneladas a mais que o volume de cargas registrado em 2016. Deste total, 2,5 milhões foram destinados ao Complexo de Pederneiras/SP.

Somente no terminal ferroviário da cidade, no qual a MRS opera e é responsável pela captação das cargas vindas da hidrovia, o aumento no volume, em relação a 2016, foi de 61%.

Sobre a Hidrovia Tietê-Paraná e a sua ligação com a ferrovia

É um complexo de 2.400 km de extensão, sendo 800 km em São Paulo, no Rio Tietê, e outros 1.600 Km no Rio Paraná, ligando a região Centro-Oeste ao Sul do país.

O transporte intermodal tem início no terminal de São Simão/GO, onde a carga embarca na hidrovia e segue por 634 km até Pederneiras/SP. Neste terminal, tem início o transporte via ferrovia até o Porto de Santos.

“A combinação desses dois modais é perfeita, principalmente, sob o ponto de vista econômico e ambiental. Para se ter uma ideia da importância do transporte de cargas que passa por Pederneiras, um trem que sai de Pederneiras transporta quantidade de carga equivalente a 200 caminhões. Isso significa redução de custos, mais eficiência energética e menos riscos nas estradas”, finaliza Marcelo Jesus.

Gostou? Então não deixe a ferrovia de fora da sua cadeia logística. Entre em contato conosco através deste link.

Por MRS