Meio Ambiente

001_Guaíba_-_RJUma questão central

Produzir sempre mais, mas de forma cada vez mais eficiente e responsável, gerenciando impactos da atividade sobre o meio ambiente. Esta equação – um desafio diário para qualquer empresa e, em particular, para o setor de infraestrutura – constitui uma agenda de gestão que está consolidada na MRS. Além de uma política estrita de monitoramento e controle de impactos, a companhia hoje busca envolver comunidades e poder público numa discussão ampliada sobre a preservação ambiental e o bem-estar das pessoas, especialmente nos ambientes urbanos.

A MRS foi a primeira ferrovia brasileira licenciada pelo Ibama, consequência do compromisso assumido e cumprido pela empresa junto ao órgão ambiental. A companhia realiza continuamente os monitoramentos e controles dos aspectos ambientais relacionados às suas atividades.

Para que se tenha uma ideia da atuação da MRS no que diz respeito a este assunto, mais de 116 mil m² de áreas degradadas foram recuperados, um trabalho que continua sendo feito ao longo da malha ferroviária.

Entre os projetos pioneiros da empresa está o uso de energia solar para a iluminação de pátios de manobra e a utilização de dormentes de plástico em substituição aos de madeira nativa, sempre que possível. Somente de 2011 até o momento, a companhia aplicou R$ 28,1 milhões de recursos na área de meio ambiente. Nos últimos quatro anos, mais de 120 mil árvores foram plantadas, por nosso programa de recuperação de áreas degradadas.

007_Bom_Jardim_-_MGInternamente, a companhia conduz um rigoroso processo de acompanhamento das instalações, tanto do ponto de vista de segurança, ergonomia e adequação a normas quanto com relação a impactos, propriamente. Nas oficinas da MRS, há uma preocupação intensa com o gerenciamento de resíduos sólidos (segregação, classificação, coleta, armazenamento, tratamento e destinação final). Somente em 2013, a MRS reduziu a geração de resíduos Classe I em 37% em relação ao ano anterior. Também está na pauta das oficinas o tratamento adequado de efluentes, especialmente água e óleo. Estes processos de gestão permitem, por exemplo, o reuso da água para a lavagem das locomotivas.

Lixo: desafio de todos

A operação ferroviária não gera lixo. Ainda assim, o descarte de lixo doméstico e de entulho tem sido um problema alarmante em muitos dos 105 municípios em que a malha administrada pela MRS está presente. Além de representar um vetor de risco para a segurança ferroviária, o lixo despejado na área da ferrovia permite o aparecimento de focos de animais (roedores, mosquitos etc.) e afeta o sistema de drenagem, podendo causar inundações que podem, inclusive, atingir áreas residenciais próximas.

A grande maioria dos municípios brasileiros possui legislação específica que proíbe o despejo de lixo em vias públicas, com a previsão de multas. Para denunciar esta prática perigosa, use o nosso telefone de contato, 0800-979-3636.